Apresentado em Xerém e na Seleção Sub-18, o Jefté tem potencial para ser uma alternativa ao Fluminense – Notícias do Fluminense

Entre altos e baixos, o +Fluminense ainda em busca da fórmula da vitória no Brasileiro. Após a sequência de sete jogos sem perder, o grupo idealizado por Marcão completou três jornadas sem vencer e sem marcar gols. Uma das posições mais frágeis, a ala esquerda vem pedindo mudanças para resolver o caráter defensivo. Mais uma vez, a resposta pode estar em Xerém.

Desde 2018 no Tricolor, Jephte continua sendo um nome pouco conhecido dos fãs. O jovem ingressou na categoria Sub-15 e fez os treinos quase completos no CT Vale das Laranjeiras. Por conta do Flu, foi campeão brasileiro Sub-17 em 2020, temporada em que se destacou.

Neste ano, o clube optou pelos Moleques de Xerém para formar o Carioca. Apesar de ter sido selecionado para as duas primeiras rodadas da competição, Jephta não chegou à quadra pelo profissional, ao contrário dos demais jogadores. Porém, mesmo sendo inexperiente, o lateral pode contribuir para a lateral esquerda do Fluminense em um momento crítico.

A habilidade do atleta de 17 anos não chamou apenas a atenção do torcedor. Convocado para a Seleção Brasileira de Sub-18, Jefté se saiu bem com a camisa verde e amarela e agradou o técnico Dudu Patetuci.

– O Jefté foi convocado uma vez pela Seleção Brasileira Sub-18. Aproveito a oportunidade. Ele é um dos jogadores em nosso campo de observação. Com a criação de times formados por atletas nascidos em anos ímpares, conseguimos dar aos atletas mais oportunidades de vivenciar a experiência da Seleção Brasileira – disse Dudu.

Segundo o treinador, o Moleque de Xerém possui múltiplas qualidades que o tornam uma promessa do futebol brasileiro. Além da velocidade, o jogador consegue se movimentar entre os setores ofensivo e defensivo, além de ter uma boa leitura das situações em campo.

– Ele é um ala com muita velocidade, joga tanto dentro como fora, suporta muito e chega muito bem ao fundo, com qualidade. Tem muita capacidade técnica e requinte para os cruzamentos. Defensivamente, ele também é muito equilibrado. Ele entende bem as variações do sistema, domina as táticas individuais e coletivas. Ele é um atleta que a gente está sempre olhando. Quando ele se sai bem no clube, eles podem convocá-lo. Você tem que estar atuando, sempre – acrescentou.

Jefté está com o Flu desde a seleção sub-15 (Foto: Mailson Santana / Fluminense FC)

Actualmente em transição entre os sub-20 e os sub-23, uma categoria transitória para o profissional, o Jefté adapta-se ao futebol para diferentes faixas etárias. No Sub-20, o jogador perdeu a posição de largada, mas continua realizando atuações relevantes. No último jogo, válido pela Taça Rio, um dos gols do Fluminense para a próxima fase caiu.

+ Confira o ranking da Série A Brasileira

Portanto, mesmo que leve algum tempo para o atleta ter certeza de agir como um profissional, a realidade do elenco principal e a habilidade de Jephté dizem tudo. +Com Egídio e Danilo Barcelos apresentando irregularidadese se preparando para a próxima temporada, Moleque de Xerém pode ganhar a chance de brilhar no Maracanã.

* Estagiário sob a supervisão de Lazlo Dalfovo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja mais notícias relacionadas