FC Bayern: Tribunal rejeita pedido do Qatar

O polêmico patrocínio da Qatar Airways provavelmente não será votado na assembleia geral anual do Bayern de Munique, na noite de quinta-feira. Poucas horas antes da reunião (19:00) no Audi Dome, a 13ª câmara civil do Tribunal Distrital de Munique I “rejeitou o recurso imediato contra a decisão do Tribunal Distrital de Munique” para “um aditamento à ordem do dia a respeito ao patrocínio da Qatar Airways “.

Os campeões recordes do futebol alemão “não foram obrigados”, disse o tribunal em resposta a um pedido do SID, “a aconselhar sobre novos patrocínios da Qatar Airways”.

O iniciador Michael Ott, que queria obter a liminar, ainda não desistiu, apesar da rejeição judicial. “Ainda tentaremos um aplicativo espontâneo esta noite. Nem tudo está perdido”, escreveu ele no Twitter. Uma candidatura espontânea necessita de uma maioria de 75 por cento dos membros para ser admitida.

A título de justificação, o tribunal afirmou “que o aditamento à ordem do dia foi rejeitado porque a assembleia geral não é responsável pela designada deliberação e resolução sujeita aos estatutos da associação Estatutos da associação exclusivamente da competência do presidium e, portanto, retirada do competência da assembleia geral. ” A decisão do Tribunal Regional I de Munique (Az. 13 T 15372/21) é “vinculativa”.

O membro do Bayern Ott e seus colegas querem que o campeão recorde finalize o polêmico patrocínio com o Emirado do Catar, que sediará a Copa do Mundo de 2022, o mais rápido possível. O contrato atual vai até 2023. Uma nova conclusão deve ser evitada.

O Catar representa violações massivas dos direitos humanos, e também há sérias alegações de corrupção no esporte, de acordo com uma mensagem da iniciativa, que vários rostos conhecidos da cena de fãs de Munique apóiam.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *