Leki, membro do Presidium da DFB: “Não se deseja debate sobre as melhores soluções”

O CFO Oliver Leki, do SC Freiburg, reclama que a Federação Alemã de Futebol (DFB) não está interessada em mudanças. Há “ainda pessoas que estão convencidas – ou pelo menos fingem – que está tudo bem e que a DFB é mais uma vítima”, disse o homem de 48 anos ao chutador: “É difícil de suportar para mim e uma atitude inadequada para iniciar um processo de mudança que é urgentemente necessário. “

Leki é um representante da Liga Alemã de Futebol (DFL) na Fortaleza da DFB. “Mais decisivo” do que a questão presidencial é uma mudança estrutural para o sucesso a longo prazo da associação. O que é necessário é uma “alta administração em tempo integral que administre o negócio com uma área abrangente de responsabilidade em relação à qual também possa ser avaliada”, disse ele. Um presidium voluntário não pode mais fazer isso da mesma forma hoje.

Além disso, do seu ponto de vista, é necessária uma definição mais clara das tarefas e do papel do novo Presidente. “Não quero nada mais do que um DFB bem administrado e bem-sucedido”, enfatizou Leki, “mas você deve ter a impressão de que alguns deles não querem realmente um debate real sobre as melhores soluções.” Na verdade, este tópico é “importante demais para aceitar compromissos ruins”.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *