Na L!, Marlon fala sobre a volta ao Fluminense, 200 jogos na carreira e futuro: ‘Preparado para desafios maiores’ – Notícias do Fluminense

Em sua segunda passagem pelo +Fluminense, Marlon +ganhou a lateral esquerda e a aprovação da torcida em poucas rodadas. Para +LANÇAR!, O jogador lembrou das temporadas que disputou com a camisa tricolor, na luta contra o rebaixamento, e disse que encontrou o clube reorganizado no retorno ao Brasil. Ele também revelou o desejo de manter o espaço que conquistou nesta reta final do Brasileiro.

– Quando cheguei, em 2017, ainda tínhamos um bom ano. Fizemos um brasileiro regular e fomos para as semifinais da sul-americana. 2018 e 2019 foram anos muito difíceis, lutamos repetidamente contra a zona de rebaixamento, com final de ano muito dramático. Aí tive a oportunidade de ir para o exterior e fazer duas boas temporadas, e voltar para um Fluminense diferente. O clube está reestruturado financeiramente, com jogadores renomados e um elenco que sempre pode competir para chegar ao G6, G4 do Brasileiro. Fiquei ainda mais feliz por ter a oportunidade e continuar, e por fazer parte desse projeto, sempre quis me consolidar no clube e jogar. Sempre apreciei que você tenha que pensar semana após semana, estou jogando agora, mas estive fora, então vale a pena valorizar cada minuto para continuar jogando.

Em seu primeiro contato com o Flu, o ala teve+ poucas oportunidades de estar no campo. Para o jovem, esse foi um dos principais fatores para uma atuação abaixo do esperado para ele e para a torcida.

– Aqui no Fluminense, por não ter a regularidade que eu esperava, não só pelas decisões técnicas, mas também pessoais. Muitas vezes tive oportunidade de jogar e não me saí bem. Por não ter consistência, não teve o desempenho físico esperado e nem a confiança. O jogador profissional precisa dessa segurança. Quando você atinge uma sequência de jogos, encontra um ritmo ideal e pode se safar jogando.

Em 2019, o Fluminense conseguiu o empréstimo de Marlon à portuguesa +Boa Vista, e então para +Trabzonspor, da Turquia. A etapa na Europa foi fundamental para que o camisa 30 ganhasse a confiança de que precisava, e melhorasse seu estilo de jogo para voltar a disputar o futebol brasileiro.

– Na Europa, fiz 80 partidas em dois anos, raramente me substituíam e sempre me mostrei muito bem. Mudei drasticamente a minha forma de jogar e ganhei experiência, este minuto foi muito importante para o meu crescimento profissional e também como homem. Fiquei muito feliz por voltar ao Brasil com mais experiência, por jogar em um nível muito exigente, que é o Campeonato Brasileiro. Estou muito feliz por poder fazer um futebol melhor a cada semana e estou sempre procurando crescer.

Marlon soma 11 jogos para o Brasileiro de 2021 (LUCAS MERÇON / FLUMINENSE FC)

Após retornar ao Fluminense, o jogador passou por um período de adaptação, sendo incluído pela primeira vez no duelo contra o América-MG. Atendendo a pedidos da torcida, Marcão convocou o jovem na partida contra o Cuiabá, no final do primeiro turno. Desde então, +Marlon deu uma assistência e criou duas grandes chances. No entanto, ele não considera o título garantido e quer aproveitar ao máximo a oportunidade.

– Estou muito feliz por voltar ao Fluminense e estar participando do crescimento do clube, lutando por grandes coisas com a equipe e me firmando na posição. Todos os dias temos que estar apresentando o melhor futebol para ficar no time, mas sabemos que só a cadeira do Fred cativa [tem], e muitas vezes também saiu. Como disse, estou mais maduro mas também estou utilizando uma das minhas grandes características, que é a peça fixa e a cruz. Neste final de semana, se eu sair para jogar, vou chegar a 200 jogos na carreira. É uma marca muito importante, embora eu seja um jogador jovem … Já não é tão jovem, porque os meninos lá têm 18, 19 anos e eu já tenho 24. Me sinto um pouco mais velha [risos], mas estou muito feliz – disse ele.

Conhecida pela união, a equipe do Fluminense se destaca pela simpatia entre os jogadores e a comissão técnica. O atleta revelou que já brincou com os companheiros sobre fazer gols com as bolas paradas que cobra, mas ressalta que quer muito inflar a rede como se fosse a primeira vez.

– […] Até jogo com David Braz, Nino e Luccas Claro, que tem que me consagrar. Já cruzei quatro ou cinco bolas e ninguém terminou de cabeça, mas este é o caminho a seguir. Estamos nos conhecendo também, na minha volta aproveito para conhecer os jogadores, porque são muitas pessoas diferentes. São poucos [os jogadores] desde minha primeira passagem eles estão aqui. Estou feliz porque tenho conseguido mostrar as minhas qualidades ofensivas e defensivas, principalmente na retaguarda, onde tenho melhorado muito. Também há uma bola parada e estou ansioso para marcar meu primeiro gol nesta reviravolta. [quero] para marcar um tiro livre, algo que treino muito. Mas estou feliz por estar dando assistências e contribuindo para as vitórias – disse o jogador.

À beira de completar 200 jogos em sua carreira, Marlon ainda vê o menino de Cascavel, do Paraná, que sonhava em jogar futebol. O jogador também aproveitou para projetar o duelo que concretiza o marco individual, contra o Atlético-MG, neste domingo. Apesar da disputa do adversário pelo título, vale ressaltar que o Fluminense também tem seus gols e potencial para garantir os três pontos no Mineirão.

– Quando você é criança e deseja ser um jogador profissional, é apenas um sonho que você espera que se torne realidade. Hoje sou um atleta profissional, jogo em um grande clube e eles me veem por toda parte. Chegar a essa marca, em uma partida tão importante para Fluminense e Atlético-MG, é a realização de um sonho. Vai ser um jogo muito bom. As pessoas falam em comemorar o título de Galo, mas sabem que o Fluminense vai buscar a vitória porque precisamos desses pontos importantes na reta final. O rival é duro, mas sabe que o Fluminense também é um jogo difícil.

Por fim, Marlon disse que está ansioso para continuar seus planos para a gripe na próxima temporada. Além de um ambiente reestruturado, o lateral ressaltou que o clube vem crescendo nas competições e tem capacidade para realizar voos mais importantes no próximo ano, jogando a Libertadores.

– No meu retorno, pude constatar que muitas coisas mudaram para melhor no clube, inclusive o desempenho da equipe. Os grandes jogadores esperam jogar aqui. Este ano vencemos Palmeiras e Flamengo, finalistas da Libertadores e também outros grandes rivais como o Internacional. Esta é a prova de que o clube está preparado para desafios maiores, num nível de competição mais elevado. Espero fazer parte dos planos do clube no ano que vem, disputar a Libertadores e lutar pela conquista dessa competição. O Fluminense tem todas as condições para fazer um ótimo 2022.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja mais notícias relacionadas