Posições: Os zagueiros do Vasco ilustraram o ano consistentemente ruim do time – Notícias do Vasco

A defesa do Vasco foi a segunda pior da Série B do Campeonato Brasileiro e isso não seria possível apenas para os zagueiros. Mas a defesa central cruzada de Maltino teve diferentes formações desde o Campeonato Carioca e quase sempre decepciona. Essa posição é o objetivo, nesta terça-feira, da série que o +LANÇAR! fala sobre a temporada da equipe de São Januário. Antes, o desempenho dos goleiros e dos alas era quebrado.

Como uma temporada terminava quase sobreposta à outra, a dupla idealizada na formação do elenco demorou a atuar juntos: Ernando e Leandro Castan iniciaram uma partida sozinhos na segunda fase da Copa do Brasil, contra o Tombense. Era a décima partida do ano do Cruz-Maltino e o então técnico, Marcelo Cabo, entendeu que havia encontrado a espinha dorsal do time.

Nas primeiras partidas escolhidas por Miranda e Ulisses, a segunda disputaria cinco partidas na temporada naquele estado. O Vasco aproveitou a competição para equilibrar fisicamente os jogadores rumo à Série B. Diferentes associações foram vistas, por suspensões, lesões ou opções técnicas. Mas a defesa cruzada-maltesa nunca foi além da confiança total.

A Segunda Divisão começou e o time só conseguiu não vazar no quinto dia. Castan começou ausente, depois voltou, Miranda substituiu Ernando e a verdade é que houve um grande rodízio, principalmente por critérios de atuação. O capitão também se envolveu em uma polêmica em junho.

+-> Confira a classificação final da Série B do Campeonato Brasileiro

Miranda foi suspenso por doping e jogado pela última vez no início de setembro. Também por isso, o clube fez acordo com Walber, que só entrou em campo oito vezes e quase sempre foi discreto. O problema foi a última impressão: péssima atuação contra o Vitória.

A temporada terminou, portanto, com Ernando dispensado do último jogo; Miranda impedido pela Conmebol; Walber de férias mais cedo; Exausto, Ricardo Graça cometeu um erro capital no jogo após o retorno após o ouro olímpico; e Leandro Castan vaiado sem graça na última partida em São Januário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja mais notícias relacionadas